¿Que Pasa? Abril, 2020

Hoje em um rico dia de sábado, frio, sol e vento me lembram minha terra natal. Que saudade de casa. Depois de buscar as compras no Bem da Terra e ler um punhado de capitulos do Alternativas Sistêmicas do Pablo Solón, vim aqui relatar o que se passou nesse mês de Abril.

Lento. Se existe uma palavra que poderia definir esse mês é essa. Um mês que parecia se arrastar, sem grandes novidades. Mandei um patch para o sourcehut e koushin referente a lidar com citações em email e basicamente avancei algumas coisas relativo ao projeto de uma plataforma de feira para o Bem da Terra. Esse é um projeto que tem sido muito bom de trabalhar, apesar de lentamente estar avançando alguns pontos de mais importancia. Perseveram algumas discussões se a implementação deveria ser mais diversa, algo muito parecido com a versão do nosferoo que roda atualmente no cirandas. Mas ainda não cheguei numa conclusão sobre esse assunto. De qualquer forma, de dentro dele, surgiu o Umbó, uma tentativa minha de centrar a ideia de um micro-framework css. A ideia é um projeto que sirva como base pra implementar um grid e adicionar a estilização de alguns elementos basicos, mas sem se tornar alguma coisa muito rebuscada ou se tornar inchado como bootstrap/bulma e afins. A proposta de ser modular também ajuda a poder incluir somente o que é necessário e atualmente ele pesa nada mais do que 22kb minificado, incluindo todo o Grid, a fundação (tipografia, links, etc), normalização dos elementos, tabelas e formulários. Também optei por não usar nenhum pré-processador, justamente pra facilitar a escrita do projeto, afinal de contas eu sempre achei ridiculo eu ter que instalar 5 dependencias pra poder compilar um framework css. Por isso, basta clonar o projeto e usando o make e ferramentas que já existem no seu sistema operacional (cat, sed, make) você consegue gerar uma versão completa e minificada com dois comandos apenas 1.

Alias, eu tenho bastante a sensação de que justamente por desconhecer as ferramentas que já existem hoje, se inventam abstrações desnecessárias em cima de ferramentas já bem consolidadas e simples (Olá Gulp/Grunt).

Leituras

Fora disso, terminei de ler o grandioso Estrela Vermelha sobre o Terceiro Mundo do Vijay Prashed, e é um livro fantástico. Recomendo muito a quem tenha o desejo de compreender melhor a influência da Revolução de Outubro sobre o mundo, muito além do que é considerado pela hegemonia atual. E finalmente comecei essa belezinha aqui:

Quando eu comecei a ler o Bem Viver do Alberto Acosta, eu senti que faltava algo. Sentia como se eu tivesse pego pra ler Harry Potter e a Ordem da Fênix 2, como se tivesse faltando uma contextualização de tudo que o livro abordava. E apesar de que o livro do Pablo Solón foi publicado depois do de Acosta, eu sinto que ele introduz melhor os diversos assuntos que o livro do Acosta vai abordar. Tem sido uma leitura prazerosa e simples, apesar de algumas questões parecerem terem sido abordadas sem uma compreensão das diferenças entre um Estado burguês e um Estado do Proletáriado 3. Também tenho me debruçado em cima do Economia Política para Trabalhadores da Sofia Manzano e tem sido bem complexo de compreender algumas questões. 4 Nada que um bom final de semana de estudo e escrita não resolva. :)

Por hoje é só, nos vemos mês que vem.


  1. make e make minify ↩︎

  2. Na verdade, eu nunca li nenhum desses livros. Mas gosto bastante dos filmes ↩︎

  3. Falta uma gota de Lenin no Pablo Solón. ↩︎

  4. Foi inclusive por me sentir não estar conseguindo progredir tanto que eu fiz uma pausa e peguei pra ler o Alternativa Sistemicas. ↩︎

Ficou com alguma dúvida ou viu alguma coisa que não curtiu em relação a esse post? Vamos discutir sobre, manda um email lá na minha caixa de entrada pública ~porcellis/public-inbox@lists.sr.ht