¿Que Pasa? Março, 2020

Está chovendo. Estou sentado na minha mesa com a janela aberta, enquanto um pós chuva e uma tarde cinza começam a surgir. Com a minha gata no meu colo, escutando essa besta de album da Agnes Obel “Aventine” serve como pano de fundo pra todas as coisas estranhas que estão acontecendo no globo.

Veja, eu não estou com medo, apesar que eu estou em quarentena por enquanto. Desde a última sexta eu tenho tido uns sintomas de uma espécie de gripe, tipo tossindo o tempo inteiro, espirrando e com a garganta doendo demais. Talvez eu esteja com o tal do Covid-19? Não sei.

De qualquer forma, eu vou tentar resumir todas as coisas que aconteceram nos ultimos três meses. Vamos?

Estudos

Então, eu tenho feito bastante pesquisa e leituras nos ultimos três meses. Na verdade, eu tenho me sentido bem melhor justamente por conta disso, afinal eu já nem lembrava mais o que era ler um texto em um livro.

No seio da minha família, eu era aquele que gostava de ler mais que os outros, mas não era algo que se considerasse um “leitor”. Então não apenas eu estava desacostumado como eu ainda estou progredindo bem lentamente.

Eu já tinha esquecido quanto prazer a gente tem de ler um livro. Especialmente quando são livros que respondem diversas perguntas profundas como os que eu tenho me atolado.

Tenho conhecido bastante sobre a Revolução Africana do séc. XX, através dos trabalhos de Thomas Sankara, Frantz Fanon e Samora Machel. Aliás, o artigo dele “Estabelecer o Poder Popular para servir as Massas” de ‘74 é absurdo de fantástico1. Acho incrível a forma que ele escreve num formato simples, educado e acessível para explicar conceitos grandiosos e a necessidade de uma mudança radical e profunda na sociedade. Também a capacidade de autocrítica dele e do FRELIMO eram fantásticos. Também terminei de ler “Reforma ou Revolução” da grandiosa Rosa Luxemburgo. Realmente esse livro marcou várias das caixinhas de perguntas sobre a Social Democracia e porque ela sempre falha e sempre mantém o poder da mesma forma. Estou no processo de re-ler e fazer algumas reflexões mais profundas sobre esse tópico, mas de qualquer forma tem sido uma boa leitura. Também entrou na fila as 18 Teses sobre Marxismo e Libertação Animal da gloriosa Sabrina Fernandes, além do Estrela Vermelha sobre o Terceiro Mundo do Vijay Prashad que já ouvi críticas fantásticas a respeito.

Fora dos tópicos de livros marxistas, eu estou terminando de ler, pela terceira vez (eu acho) o “Olhaí os Lírios do Campo” do Érico Veríssimo. É realmente um livro profundo, bonito e sombrio sobre a pobreza, poder, insegurança em relação à vida e o amor. Livro fantástico que já estou práticamente terminando.

Trabalho/Projetos

Estive de férias no meio de Fevereiro e pude ficar mais em casa, escutar músicas, trabalhar em algumas coisinhas pequenas como o t e o projeto de navegador privado badwolf.

No lado do badwolf eu traduzi o projeto pra Português e pude começar a trabalhar na parte de configurações. Também tirei um tempo para entender como que o Git funciona e como usar ele de forma mais eficiente.

No lado do t, eu removi a interface de argumentos e transformei eles em comandos de fato. Então ao invés de ter que digitar t -c 'Minha Anotação' agora possuí uma interface de comandos t create 'Minha Anotação'. Isso foi em grande parte um mal entendido meu sobre como desenhar o projeto de forma correta. Também atualizei a documentação para cobrir essas mudanças e comecei a pesquisar em como integrar a listagem das anotações com o paginador do sistema operacional. Tudo isso vai ser o suficiente pra chegarmos em uma versão estável 1.0.0. Também tenho usado direto pra lidar com as minhas anotações, relatorias, etc.

Vida Pessoal

Voltei a usar o instagram. Aqui vai: instagram é uma merda, do ínicio ao fim. Mas eu li alguns artigos que jogaram uma luz em entender que se faz necessário estar onde as massas se encontram ao invés de criar bolhas o que eu concordo, em partes. Nós precisamos disputar esses espaços ao invés de tentar juntar todas pessoas que pensam igual e já estão convencidas ou tem uma visão um pouco mais ampliadas de classe e criar espaços isolados para interagir. Partindo do pressuposto que Política é Poder e nós temos que jogar o jogo.

Outro assunto interessante é que me tornei vegetariano. Na verdade a transição foi algo extremamente natural pra mim, mesmo eu imaginando que ia ser muito difícil e trabalhoso. Eu literalmente só parei de comer carne. A ideia é ampliar minha seleta de cardápios sem carne a ponto que eu possa transicionar para algo mais correto com o que eu acredito. Os motivos são vários e talvez eu aprofunde nesse tema mais pra frente.

Blog

Eu tenho tido muita vontade de escrever mais, especialmente agora que tenho lido tanto, escrever reflexões se faz algo necessário.

Quero escrever nesse espaço especialmente sobre vida, disputas hegêmonicas, vários mal entendidos que eu vejo por aí sobre a teoria marxiana, tecnologia, etc. Então uma das coisas que eu comecei a fazer foi traduzir esse blog pro Português e tenho tentado editar algumas das minhas pilhas de anotações em algo mais sano, coeso e entendível. Conforme eu conseguir eu vou postando alguns por ai.

Por enquanto, é isso! Espero que você tenha estado bem, cuidado de você mesmo e analisado como que o capitalismo não está preparado para uma crise como o Covid-19. Espero que você queira ajudar a mudar isso!

Obrigado, Pedro Lucas


  1. https://lavrapalavra.com/2017/07/24/estabelecer-o-poder-popular-para-servir-as-massas/ ↩︎

Ficou com alguma dúvida ou viu alguma coisa que não curtiu em relação a esse post? Vamos discutir sobre, manda um email lá na minha caixa de entrada pública ~porcellis/public-inbox@lists.sr.ht