Pedro Lucas Porcellis

Comunidades FOSS devem ser Construidas com FOSS

Recentemente tenho notado que diversas comunidades de software livre 1 tem se ancorado em cima de softwares que não são livres tampouco de código aberto.

Isso me incomoda por uma razão obvia, eu não espero que um software livre esteja ancorado em cima de uma plataforma proprietária. Me parece indubitavelmente incoerente. Poucas pessoas percebem isso, mas a cada software livre trazido nesse mundo, ele serve como um contra-ponto ao seu par proprietário, um contraponto que acredita que o comum e coletivo é melhor do que a individualidade e a propriedade.

Pensando nisso, é no mínimo estranho quando uma comunidade de um software/hardware aberto está organizada em torno ou participa de uma plataforma proprietária.

Alguns criadores, argumentam da falta de bons software livres para construir comunidades, que os softwares proprietários são mais amigáveis, ou que é “onde a comunidade está”. Veja bem, de acordo com a definição de software livre da FSF ou da OSI, um dos pontos mais cruciais é o fato de que permite que as pessoas possam colaborar, eu posso diretamente contribuir com a construção desse software. Tendo isso em mente, eu não só posso ajudar a construir e melhorar essas ditas plataformas ruins, como eu utilizar elas pode inclusive impulsionar e validar o trabalho feito por quem a criou/mantém.

Então veja, se eu sou um desenvolvedor de software livre e desejo que as opções de softwares livres se proliferem, que a qualidade do mesmo melhore e que o ecosistema como um todo floreie, é necessário que eu aposte meus cavalos nas opções que existem hoje, e que eu construa junto também. Essa aposta é parte do processo e não pode ser vista como um mero acessório.

Existem dezenas de ferramentas construídas em cima de protocolos abertos, padronizados e portáveis em diferentes arquiteturas, sistemas operacionais, etc. Ferramentas essas que não estão isoladas em algum software proprietário, rodeado de muros, lucrando com os dados de todo mundo e inacessíveis para uma parte da comunidade que deseja poder participar.

Muitas dessas ferramentas, como por exemplo Discord são conhecidos por exigirem muitos recursos para pouco benefícios que de fato entregam, lugares como Facebook também são mundialmente conhecidos por minerar dados e violar a privacidade dos seus usuários. Qual a justificativa de um software livre construído como um contra-ponto estar utilizando essas plataformas?

Escolher participar e construir comunidades em cima de softwares proprietários é uma escolha contraditória por si só, e ela ameaça justamente afastar as pessoas dos ideais do pelo qual você construiu o seu software em primeiro lugar, dê a chance e construa sua comunidade em cima do que é aberto, livre e público. E contribua para que esse ecosistema como um todo cresça ainda mais, esse é o espírito do software livre.


  1. O libera.chat por exemplo, se tornou o lar de projetos FOSS, mas mantém seus perfis oficiais em lugares como o Facebook e Twitter ↩︎